sábado, 9 de julho de 2011

Ao avesso

Tenho gosto pelo passado. Não raro me pego comparando onde estava com onde vim parar, buscando alguma pista de pra onde vou. Sobre isso, o último ano me fez concluir: não faço a menor idéia (com acento, em forma de protesto)!  Janeiro de 2010 minha preocupação era conseguir algum emprego pro ano seguinte, já que meu contrato no de então estava acabando. Corta pra julho de 2011: estou num estado diferente, morando num lugar que sequer conhecia, realizando o objetivo - que parecia muito distante - de continuar estudando, concursado e vivendo o desafio de um namoro à distância. Do que eu tinha "planejado", só o fato de conseguir o emprego saiu nos conformes. O restante tem saído melhor que a encomenda, graças a Deus.

E tenho uma teoria (que tá mais pra crença): as coisas em geral não saem como você tenta prever, mas por outro lado não se colhem maçãs onde se plantaram uvas. Por mais que a vida tome rumos complexos, o que vai te acontecer amanhã depende fortemente de pra onde você foi hoje. E meus momentos flashback só reforçam essa idéia. Daí vem meu gosto pelo passado: mesmo que não diga exatamente pra onde vou, me explica como é que cheguei aqui. E isso não é pouco. A vida não é um mero amontoado de circunstâncias e coincidências.

3 comentários:

  1. Com esse ponto de vista fica muito mais gostoso gostar do passado. Boa sorte pra ti seja no presente, no futuro e até mesmo no passado ;).
    Beijos saudades amarelo.

    ResponderExcluir
  2. poxaa..... profundoo rsrs amo entrar no seu blog... sempre q venho dah uma olhadinha tenho a impressão de estar invadindo seus pensamentos...rs isso éeh bom!! Nos passa sinceridade...
    saudades amigoo bjoo

    ResponderExcluir
  3. =)
    Obrigado pelos comentários, meninas!

    ResponderExcluir